Óleos Essenciais e Florais de Bach: principais diferenças
Óleos Essenciais e Florais de Bach

Óleos Essenciais e Florais de Bach: principais diferenças

Quando comecei a estudar os óleos essenciais eu tinha muitas dúvidas do que eles eram, como eles eram produzidos e como eles atuavam dentro do nosso organismo. No início eu achava que era semelhante à homeopatia ou aos Florais de Bach, mas ao longo da minha trajetória estudando e trabalhando com os óleos essenciais fui entendendo o quão concentrado eram os óleos essenciais e as diferenças que existiam entre esse tipo de tratamento e os outros tratamentos naturais. Ainda hoje quando digo que trabalho com Aromaterapia as pessoas me perguntam sobre as essências, nomenclatura que não deve ser utilizada quando falamos em óleos essenciais, para que não haja confusão. (mais…)

Continuar lendo

Ritual matinal: um hábito que pode fazer a diferença na sua vida

Um ritual matinal pode fazer toda a diferença em como você se comporta durante o seu dia, a maneira como você trata as outras pessoas e como você se sente. Não me lembro quando comecei a adotar uma rotina pelas manhãs, mas sei exatamente como eu me sinto quando não consigo praticá-la:

  • Parece que falta algo.
  • Eu me sinto menos presente.
  • Eu não fico tão concentrada ao longo do dia.
  • Minhas ideias criativas não fluem.
  • Eu me sinto menos flexível, em todos os sentidos, tanto no corpo como nas ideias.
  • Eu me sinto mais vulnerável a reagir aos estímulos externos que não estão sob o meu controle.
  • Eu me sinto menos empática.

(mais…)

Continuar lendo

Substituindo a esponja sintética pela bucha vegetal na hora de lavar louças

Toda vez que eu tinha que descartar a esponja sintética que eu usava para lavar louças eu me sentia triste, pois ficava pensando que ela seria descartada, viraria lixo e iria parar no aterro sanitário. Quando eu digo virar lixo é porque em Florianópolis, onde eu moro, até 2015 eu não conhecia nenhum ponto de entrega que recolhesse as esponjas para reciclagem e ela não é um material tão simples de ser reciclado. Naquela época eu conhecia apenas uma empresa no Brasil que fazia esse tipo de reciclagem. Talvez hoje em dia até existam outras. (mais…)

Continuar lendo

A capacidade humana de conexão é estimulada no evento Entre Olhares

Onde foi parar a conexão humana? Quando foi a última vez que você encarou alguém olho no olho? E se você pudesse compartilhar um minuto de contato olho no olho para descobrir…

Em 2015 o movimento social The Liberators Internationalfundado em Perth, Austrália, resolveu fazer um experimento chamado de Eye Contact Experiment em que as pessoas foram convidadas a compartilhar 1 minuto de contato visual com um estranho. O evento  aconteceu em 156 cidades em todo o mundo. O objetivo desse evento global foi demonstrar o poder da conexão humana em público, pois eles acreditam que nossa sociedade global tem sede de conexão verdadeira. Essa experiência permite que você seja a mudança que deseja ver no mundo, criando uma plataforma autêntica, amorosa e respeitosa para a conexão humana florescer em público. Quando nos sentimos conectados um com o outro, nos sentimos mais pacíficos, mais abertos e menos sozinhos. Compartilhar um minuto de contato visual permite que tudo isso flua sem a necessidade de falar o mesmo idioma.

(mais…)

Continuar lendo

Fazendo conexões e aprendendo sobre Lixo Zero em Vancouver

Esta semana tive oportunidade de participar de um evento chamado The Food Connection, que ocorre mensalmente em Vancouver. Esse evento acontece há mais de 5 anos e surgiu da ideia de três amigas em compartilharem conhecimentos. No princípio falavam apenas sobre comidas, e trocas de receita. Hoje em dia os temas envolvem toda a cadeia produtiva e são abertos a toda a população. O tema desse mês foi: Zero Waste – Lixo Zero e ocorreu em meio ao clima descontraído de um pic-nic. Cada participante levou um prato de comida. Tinham pessoas de diversos países: Canadá, Japão, Noruega, Israel, Índia, Coreia, França, então deu para experimentar diversos sabores novos. Cada pessoa também tinha que levar o seu próprio prato, talher e copo e se quisesse poderia coletar as plantas disponíveis no local.

(mais…)

Continuar lendo
Fechar Menu