Desafio de privação total de mídias por uma semana

Recentemente participei de uma jornada, O Ser Criativo, que tem como objetivo explorar a expressão criativa, a autenticidade e a plenitude através de técnicas e ferramentas com o propósito de transformar a vida através de atos criativos. Um dos desafios propostos foi o de privação total de mídias por uma semana.

A definição de mídia no dicionário é: “Toda estrutura de difusão de informações, notícias, mensagens e entretenimento que estabelece um canal intermediário de comunicação não pessoal, de comunicação de massa, utilizando-se de vários meios, entre eles jornais, revistas, rádio, televisão, cinema, mala direta, outdoors, informativos, telefone, internet etc.”

Então isso significa ficar uma semana sem redes sociais, sem ouvir música, sem ler livros, sem ir à museus, ou seja, sem qualquer tipo de entretenimento.

A primeira vez que fiz o desafio consegui ficar distante apenas da música e dos livros, falhei em me distanciar das redes sociais. Graças à esse desafio percebi que toda vez que tentava me distanciar do celular eu recorria aos livros. Consegui diminuir o uso do celular, mas não completamente. Não fiquei satisfeita com meu desempenho e essa dependência do celular é assunto recorrente na minha vida. Já havia escrito algumas dicas de como diminuir a dependência pelo uso de celular, mas ainda assim não eram suficientes.

Como estava saindo de férias e indo acampar decidi fazer o desafio novamente, pois sabia que onde eu iria não tinha Wi-Fi, então pensei que seria mais fácil. No primeiro dia do desafio senti uma sensação tão ruim, de querer acessar e não poder. Decidi baixar um aplicativo para contar quantas vezes eu sentia vontade de acessar. Toda vez que eu sentia vontade, ao invés de abrir meu Instagram ou Facebook eu abria esse aplicativo e clicava no símbolo de +. Fiquei assustada com a quantidade de vezes que eu tive vontade de acessar. A sensação foi a mesma que senti uma vez que fiz uma dieta restritiva em que cortei o chocolate. Parece que quanto maior a privação, maior é a vontade.

Por sorte lembrei de um TED Talks que assisti recentemente em que o Judson Brewer, médico, PhD, diretor de pesquisa do Center for Mindfulness da Universidade de Massachusetts mostrava um jeito simples de quebrar um mau hábito. De forma resumida, ele mostra como o nosso cérebro funciona: Gatilho – Comportamento – Recompensa. Então ele sugere que ao invés de brigarmos com o nosso cérebro, que fiquemos curiosos sobre o que está acontecendo na nossa cabeça e no nosso corpo quando sentimos vontade de cometer esse mau hábito. Ele cita o exemplo de quando recebemos uma mensagem no Whatsapp e logo queremos responder de forma compulsiva. Para modificar esse hábito ele recomenda que você perceba o desejo, tenha curiosidade, sinta a alegria de deixar essa compulsão ir embora… e repita.

Recomendo que depois você assista a palestra toda, são apenas 10 minutos, mas pode te ajudar a mudar qualquer hábito ruim que você possua. Para assistir com legendas em português, clique no símbolo da engrenagem / legendas / selecione “Português (Brasil).

Essa técnica, chamada de controle cognitivo, pode ser usada para mudança de qualquer hábito. E foi ela que eu usei para mudar esse meu mau hábito de querer acessar a toda hora as redes sociais. Então toda vez que eu sentia vontade, eu me observava e tentava entender o porquê de eu querer acessar: para checar se alguém curtiu minha postagem, para checar se alguém comentou algo, e depois de observar o que eu estava sentindo, a vontade de acessar passava. Você pode perceber o meu resultado da aplicação da técnica nesse gráfico que mostra como a minha vontade de acessar as mídias foi diminuindo ao longo dos dias. Tanto foi assim que decidi ficar mais de uma semana e acabei ficando 10 dias… e poderia ter ficado até mais se quisesse.

Gráfico com resultados do meu desafio de privação de mídias

Mas não foi só isso que eu fiz. Usei outras estratégias, como por exemplo, retirei da primeira tela do meu celular os aplicativos: Instagram, Facebook e Whatsapp. Eu já não possuo notificação de som em nenhum deles, como já escrevi nesse post. Então, como eles não estão mais na primeira tela, não vejo quando alguém me enviou uma mensagem e só vou acessar quando eu puder, e não logo que eu recebo a mensagem.

Outra estratégia foi planejar o meu dia para que eu pudesse fazer muitas atividades em contato com a natureza e dessa forma ficasse longe do celular ou em lugares que não houvesse Wi-Fi ou sinal de celular. Fiz trilhas, pedalei, remei, vi paisagens incríveis, tive contato com animais selvagens e nessas horas eu nem lembrava que existia redes sociais, estava completamente entregue ao momento presente.

Aqui alguns registros desses momentos off-line.

Trilha Valley of the Five Lakes no Parque Nacional de Jasper, Canadá

 

Trilha Sulpher Skyline no Parque Nacional de Jasper, Canadá

 

Remando na canoa no Vermilion Lake no Parque Nacional de Banff, Canadá

 

Pedalando e encontrando com um grizzly bear no Parque Nacional de Banff, Canadá

Nos momentos em que eu não estava em contato com a natureza, por exemplo, quando ia cozinhar, senti muita falta da música, pois é um hábito que tenho de cozinhar ouvindo música. Então ao invés de ouvir música, eu resolvi cantar! Sim, e é incrível pois para cantar você precisa se lembrar da melodia, da letra e também criar a sua própria playlist! É muito fácil e cômodo só clicar no aplicativo e escolher uma playlist ou ligar o rádio e ouvir o que está tocando. Quando você tem que criar a sua própria playlist não é tão rápido assim, mas eu consegui e fiquei bem feliz.

O dia mais difícil foi quando nevou e choveu e não tinha como fazer trilha e fiquei “presa” no camping. Minha vontade era ler, ouvir música, mas decidi meditar, escrever e fiz uma limpeza nos arquivos do meu computador.

A meditação eu usei também durante as trilhas, nos trechos mais difíceis em que tive que passar por áreas com neve, bastante inclinação e foi a meditação que me ajudou a manter minha cabeça no momento presente e não desistir diante das dificuldades. Se você nunca meditou, pode começar praticando por apenas um minuto.

Então, de forma resumida, as estratégias que usei para mudar esse meu mau hábito de checar toda hora as redes sociais foram:

  1. Apliquei a técnica controle cognitivo ensinada pelo médico PhD Judson Brewer, para mudar um mau hábito
  2. Retirei da primeira tela do celular os aplicativos: Instagram, Facebook e Whatsapp. (Notificações de som desabilitadas)
  3. Pratiquei atividades em contato com a natureza
  4. Meditei
  5. Cantei
  6. Escrevi

Como resultado prático na minha vida pude perceber que quando você não tem acesso às mídias você precisa usar a criatividade para passar o seu tempo e acaba focando muito mais no momento presente. Também percebi que os primeiros dias são os mais difíceis, mas como qualquer hábito, isso pode ser mudado. Também percebi que o mundo não vai acabar se eu não responder imediatamente a algum comentário ou mensagem e isso para mim foi bem libertador. Minha ansiedade também diminuiu e me sinto com muito mais controle e consciência dos meus atos. A técnica de controle cognitivo é realmente muito simples de ser aplicada.

Agora quero lançar um desafio à você! Semana que vem é a semana mundial do meio ambiente e o tema desse ano é Connecting People to Nature – “Conectando Pessoas à Natureza”. Que tal aproveitar essa semana para se distanciar das mídias e aumentar seu contato com a natureza?

Você acha que uma semana é muito tempo? Ok… Então que tal tentar ficar pelo menos 24 horas sem nenhuma mídia e observar o que sente? Se você aceitar o desafio, depois me conte o que sentiu, como foi a sua experiência.

Ah, e se achar que esse texto pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe 🙂  Ajude você também a criar um mundo melhor ao seu redor, com mais harmonia e mais foco no momento presente.

Deixe uma resposta