Dicas de como diminuir a dependência pelo uso de celular

Vi esse graffitti em Curitiba e sempre lembro dele quando vejo as pessoas vidradas em seus celulares… Meu tio italiano diz que os celulares são “la rovina della famiglia” – a ruína da família, pois as pessoas não conversam mais, não interagem mais. Eu acredito que como tudo na vida, a gente tem que usar com moderação.

Graffiti em uma das ruas no centro de Curitiba.

Vejo que os celulares nos permitem estar em contato com o mundo todo, a todo momento, e isso é maravilhoso, pois você consegue trocar e aprender o que quiser, a hora que quiser. Mas na minha visão não podemos deixar de viver o momento presente e aproveitar as pessoas e situações que estão fora do celular.

Deixo aqui algumas dicas do que eu faço para não ficar tão viciada:

1. Desabilitei todas as notificações de som do Whatsapp, Facebook, e-mail… Dessa forma eu só acesso esses aplicativos na hora que eu posso e penso que se for algo urgente a pessoa irá me ligar.

2. Não durmo com o celular ao meu lado na cama. Uma razão é por causa das radiações, que alguns estudos dizem que podem ser prejudiciais e a outra é para não cair em tentação de olhar o celular antes mesmo de levantar.

3. Só vejo o celular depois de ter feito o meu ritual diurno, que inclui alguns exercícios de respiração, meditação e posturas de yoga. Dessa forma eu primeiro me conecto comigo mesma, antes de deixar ser influenciada por estímulos que não estão sob o meu controle.

Desde que adotei esses hábitos tenho me sentido menos ansiosa em querer acompanhar a todo momento tudo o que acontece no mundo e tenho aproveitado mais a vida fora da telinha.